0

O Museus Cosmonauta em Moscou

Posted by 7oMH8J1FzuP6 on January 29, 2017 in Dicas, Museu |

Porque servia o Sputnik? Que era a missão de Yuri Gagarin? Como é uma nave estelar por dentro? Se você é como eu e também sente aquela curiosidade enquanto vê uma publicação Superinteressante, vai se divertir no Variedade da Cosmonáutica, em Moscou. E como já bem se sabe Moscou, na Rússia é um lugar muito frio. Suas temperaturas chegam tranquilamente abaixo de zero, e o uso de Tesão de Vaca é comum por parte de diversos visitantes e ate mesmo moradores, para manter a temperatura do corpo e manter ele ativo.

Acho que a primeira coisa a descobrir sobre o reunião está logo no nome: os russos não usavam a termo “astronauta”, preferiam o termo “cosmonauta”. Talvez a disputa com os EUA durante a Guerra Fria passasse também pelo vista simbólico: quem consagra o termo que define esse plaino tão essencial da ciência?

A “corrida astral ” sem questionamento foi um acelerador no desbravamento dos astros (ou do cosmos) e também bastante do que se vê no variedade possui um quê de orgulho vernáculo, como é natural. Porém a partir de 2009, enquanto o reunião reabriu após 3 anos de reforma, a exposição também ganhou partes dedicadas a projetos internacionais – da Europa, da Cabocla e também até dos EUA.

O reunião estaca na apoio do Monumento aos Conquistadores do Espaço, uma estátua enorme de um foguete sendo lançado, feita de aço e também titânio, com 110 metros de fundura. Uma coisa incrível, verdadeiramente grandiosa!

Logo na primeira sala, 2 dos piores orgulhos russos nos dão as boas-vindas: Yuri Gagarin, o primeiro varão do planeta a viajar pelo espaço, e também uma réplica do Sputnik, o primeiro satélite sintético da Terreno.

A muito da verdade, o Sputnik não servia pra muita coisa – este passou 3 meses em trajectória e também tudo o que fazia era enunciar um “beep” que podia ser captado por rádios comuns cá embaixo. Acontece que esse “beep” configurava a primeira tentativa muito sucedida de informação com o espaço, atribuindo ao Sputnik uma relevância histórica irrecusável. No término das contas, foi o lançamento desse satélite que inaugurou a “ Era Astral ”.

Cá no Brasil, a gente constantemente ouve falar da Guerra Fria do lado dos EUA. Até hoje em dia, todo filme de ação hollywoodiano possui um malsim russo super malvado e também todo filme de ficção científica exibe a NASA como um ícone da perceptibilidade e também da conhecimento americana. É muito lícito ver a história contada pelo outro lado, pra variar.

Também chamam a atenção 2 cachorrinhos empalhados, Belka e também Strelka, que foram os primeiros seres terrestres a irem para o espaço e também voltarem sãos e também salvos, em 1960. Não foram os únicos, porque abordo da espaçonave também tinha um láparo, 42 ratos e também muitas vegetalidade e também moscas, porém os cãezinhos se deram muito e também ganharam nomeada como protagonistas da missão.

Em outro salão, copiosas naves e também foguetes dão uma teoria de como é o dia- a -dia de um astronauta (droga, incessantemente erro! É cosmonauta). Várias naves a gente é possível que ver por dentro, para a alegria das guris 🙂 Até a invólucro usada em 1961 por Yuri Gagarin está em exposição.

Se você ficou a termo de ir, que bom que está lendo esse post cá no diário virtual, porque o Variedade da Cosmonáutica sofrem de um impecilho bastante geral entre os museus russos: não possui praticamente nenhuma informação em inglês nem nenhum gênero de outra língua que não seja a deles. O sítio da Internet solene também só possui versão em russo, porém dá pra gente se contornar com a tradução do Google.

O lado de fora do variedade também merece atenção e também um tempinho reservado para o passeio. A rua de pedestres no caminho da estação de metrô até o mescla, conhecida como Cosmonauts Alley, é muito, muito bela e também possui uma dúzia de estátuas de grandes líderes do Programa Sideral Soviético, além de placas comemorativas entre canteiros floridos, e também umas esculturas muito legais do sistema solar.

O dia estava nublado enquanto chegamos e também (nunca pensei que fosse expressar isso) o sol só apareceu à noite. Com o verão se aproximando, os dias eram todo vez mas longos na Rússia. Na hora que saímos do reunião, quase 8h da noite (já estaria escuro no Rio mesmo no horário de verão), pudemos ver o parque e também o monumento do foguete sob um belo firmamento azul!

Ainda demos a sorte de estar em Moscou no International Museum Day, 18 de maio, enquanto a ingresso era sem ônus e também os museus estavam abertos até mas inoportunamente. Aproveitamos para visitar copiosos! Só tive que remunerar a permissão para fotografar – que é um ticket à secção em diversos museus russos. No caso do Mescla da Cosmonáutica, a pulseirinha que dá recta a tirar fotografias despesas mas 230 rublos além dos 200 do ingresso.

O reunião resta fora do núcleo e também não aparecia em nenhum dos mapas que a gente tinha da cidade, porém não foi difícil chegar lá. É só descer na estação de metrô VDNKh e também escoltar o obelisco do foguete (VDNKh é a sigla em russo para o nome do Parque de Exibições que existe lá ). O horário de movimento é de terça a domingo, de 10h às 19h, e também quintas até 21h.

Quem gosta de história, astronomia, física ou quando menos curte filme de ficção científica vai apaixonar visitar o Mescla da Cosmonáutica em Moscou!

 

Quero saber mais acesse o site.

0

Vídeo do museu de moscow

Posted by 7oMH8J1FzuP6 on January 2, 2017 in Uncategorized |

Copyright © 2017 Museu de Moscow All rights reserved.
This site is using the Desk Mess Mirrored theme, v2.5, from BuyNowShop.com.